Em vídeos curtos e imagens objetivas, o Boas Práticas na Justiça apresenta modelos exitosos de gestão executados por magistrados em todo Judiciário, para a melhoria do cotidiano do cidadão brasileiro.

    A sétima prática do projeto mostra a importância dos Centros Judiciários da Seção do Rio de Janeiro (Cesol/RJ) para a celeridade nas resoluções processuais por meio dos centros de conciliação.

    A sexta prática do projeto mostra a criação dos "Centros de Conciliação, Conflito e Cidadania", do Tribunal Regional Federal da 2ª Região, que abrange os estados do Espírito Santo e Rio de Janeiro.

    A quinta prática do projeto mostra o funcionamento do primeiro Juizado Especial Federal, da 3ª Região, em São Paulo, para garantir a celeridade dos processos, tanto pela Secretaria Única do Órgão, quanto pelo uso de processo eletrônico, desde sua inauguração há 15 anos.

    A quarta prática do projeto é uma ação conjunta entre os servidores da 32ª Vara Federal de Pernambuco, em Garanhuns, sob a coordenação da juíza federal Madja Florencio, para a elaboração de um manual de procedimentos de Boas Práticas.

    A segunda prática do projeto é de autoria do juiz federal José Denilson Branco, e consiste em disponibilizar informações sobre parcelamento de tributos junto com os mandados e cartas de citação, o que reduz o volume de ações de execução fiscal.

    © Ajufe - Associação dos Juízes Federais do Brasil - Todos os direitos reservados.

    Ajufe.org